Não gosto de matemática, vegetais, pássaros, negros e homossexuais

24 out

Sexta passada passei por um pitbull em plena geral de Canasvieiras. Ouvi um “ai meu Deus” vindo da pessoa que estava sentada em um banco próximo e percebi também que muitos se aproximaram das paredes, enquanto eu admirava o cãozinho passando ao meu lado. Eu sem medo dele, ele sem medo de mim.

Quando criança eu tinha medo de mendigos, ciganos e velhos. Hoje pessoas maltrapilhas me levam a esconder minhas coisas de valor, carros andando devagar me fazem apressar o passo e pessoas estranhas me adicionando no Facebook me fazem pensar: “WTF!?”. Mas cães, apesar de ter sido mordido por um vira-latas quando criança, não costumam me deixar apreensivo.

Acontece que há muito tempo aprendi a identificar as intenções de um cachorro solto na rua e o que ele pode interpretar como uma ameaça, além do que, minha mãe tem uma pitbull muito dócil, o que me fez perder completamente o preconceito com a raça. Conviver faz perder o preconceito.

Por natureza todas as pessoas tem preconceito, faz parte do instinto de sobrevivência. Você pode aprender a ser preconceituoso com seus pais ou mesmo com suas próprias experiências, muitas vezes por medo ou simplesmente ignorância. Só quem sofre com algum tipo de preconceito tem o poder de mostrar que não há motivos para medo, ao menos que o receio venha do próprio discriminado. Medo gera preconceito, de ambos os lados.

Como vê, nenhuma parte deste post é preconceituoso. O título não fez do texto algo homofóbico, racista, anti-ambiental, carnívoro ou matematicamente incorreto. E você, começou a ler este texto com preconceito?

brocolis

4 Respostas to “Não gosto de matemática, vegetais, pássaros, negros e homossexuais”

  1. SDSDSD janeiro 27, 2012 (sexta-feira) às 12:13 #

    ÉS GAY!!!!

    Curtir

  2. Christoffer Kraus janeiro 27, 2012 (sexta-feira) às 13:56 #

    Portugueses. Quem é que entende? =I

    Curtir

  3. Kevin março 29, 2012 (quinta-feira) às 19:30 #

    “pessoas maltrapilhas me levam a esconder minhas coisas de valor” “Como vê, nenhuma parte deste post é preconceituoso.” Não, claro que não. Sem falar que o título faz parte do post.

    Curtir

Trackbacks/Pingbacks

  1. Mais um texto sobre racismo | Christoffer Kraus - setembro 10, 2014 (quarta-feira)

    […] existe lei, situação ou ação de conscientização que possa acabar com o preconceito. Já disse nesse blog que esta é uma questão de sobrevivência, toda pessoa nasce burra e medrosa, esse medo e burrice se transformam em ignorância e […]

    Curtir

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: