Tag Archives: celular

Se ainda não perceberam, o rei está nú

23 fev

Ontem estava conversando com uma amiga que foi no show do David Guetta aqui em Florianópolis, ela comentou que o estacionamento normal era R$ 20,00 e o VIP saia por R$ 50,00. “Ridículo” foi a palavra que ela usou e eu respondi que eles estavam certos, afinal, eu não deixaria minha moto naquele fim de mundo.

Esta é a “lei da oferta e da procura”, quando vejo absurdos como esse sei que eles estão somente se aproveitando das facilidades do capitalismo. Não tenho costume de reclamar do preço das coisas, afinal, eles  foram expertos e devem ser recompensados por isso.

No caso do estacionamento, outros parâmetros importantes que definiram seu valor é a utilidade e a super valorização, só que estes parâmetros variam de pessoa para pessoa. Um relógio Rolex, uma caneta Mont Blanc e um terno Armani tem um valor excessivo e é muito útil para um alto executivo demonstrar seu status, para mim uma calça jeans, camiseta e celular é suficiente.

Não vejo utilidade para um Rolex, todas funções de um relógio tenho no meu celular. Mesmo sendo um executivo rico, eu ainda preferiria um smartphone ou um netbook ao invés de um Rolex e uma Mont Blanc, mas para pessoas como eu existe outro seguimento de mercado. Independente do segmento, ainda é baseado em aparências.

Artigos de luxo e diferenças de preço “ridículas”, apesar de trazerem algum benefício, como por exemplo o serviço de valet, não justificam seu valor e servem exclusivamente para mostrar que deve ser atribuido o sufixo “rico”, como em empresário [rico] ou filha de pai [rico].

Não tenho nada contra o sistema capitalista. Só acho que é um sistema baseado em aparências, como um rei que continua nú.

Viva ao capitalismo burro e compulsivo!

14 dez

No início desse ano decidi comprar um celular bom, mas tinha que ser mais do que uma simples penteadeira, tinha que ser “o celular”.

A possibilidade do lançamento do iPhone no Brasil acabou adiando cada vez mais essa aquisição, porém quando o dito cujo foi lançado pelas operadoras brasileiras como artigo de luxo, percebi que aquele pedaço de vidro contorcido não valia nem a metade do que elas estavam pedindo.

Desde então comecei a procurar por celulares alternativos, não fazia questão de um smartphone, só precisava ser um aparelho bonito e útil.

Hoje encontrei o que parecia ser o fim destas buscas: Sony Ericsson F305. Além de possuir todas funções que eu precisava, ainda estava de graça em um plano de R$ 73,77 compartilhado com a Claro — tudo perfeito, se não fosse PURA ENGANAÇÃO.

Neste natal a Claro lançou a promoção “Compartilhar”, trata-se de uma imitação barata do plano “Pula-Pula” da BrasilTelecom, onde você paga em um mês e fica isento da franquia no próximo mês. O que não fica muito “claro” é que a promoção só é válida nos 6 primeiros meses e o plano de fidelidade é de 12 meses.

Na minha lógica eu ainda sairia no lucro, estaria ganhando um celular legal e me livrando da BrasilTelecom, pois aproveitaria a portabilidade para migrar meu número. Novamente tudo perfeito, se não fosse somente mais uma isca para pegar consumidores compulsivos.

Saí de casa e fui até a loja da Claro para ver o aparelho de perto e fechar negócio. Depois de escutar durante uns 15 minutos a ladainha do vendedor e ele pedir ajuda para uns 3 outros vendedores que não sabiam o processo da portabilidade, o mesmo me informou que após uma “análise de crédito” a Claro só liberaria o plano de 70 minutos (R$ 66,02/mês).

Perguntei o motivo e ele não soube me dizer, só mostrou que o sistema não liberou o plano de R$ 7,75 a mais por mês.

A minha dúvida éComo uma análise de crédito rejeita uma pessoa sem restrições no SERASA/SPC e com uma renda bem acima da média?” e a minha resposta éBingo!”

Um sistema configurado para traçar um perfil de “mal pagador” ou com planos pré-definidos para cada faixa etária, ou ainda um truque comercial que evita que celulares sejam dados de graça para clientes com condições de compra-lo, que aliás foi a primeira alternativa que pensei pois só essa operadora oferece este aparelho.

Uma coisa tenho certeza, isso não ficou claro para mim e quando eu tiver um tempo vou ligar para a Claro solicitando uma explicação plausível.

Não gosto de ser tratado como um consumidor burro e compulsivo, por isso vou procurar este aparelho desbloqueado e usar na BrasilTelecom, onde pago uma fortuna por um plano que não uso e não tenho cobertura nem na minha casa, porém sou tratado com respeito.

%d blogueiros gostam disto: