Tag Archives: pessoal

Teoria Geral do Menor Esforço

11 fev

Gosto de aplicar um pouco de lógica ao meu cotidiano, isso ajuda a resolver pequenas pendências e ter uma resposta razoável para determinadas situações. A algum tempo venho aplicando algumas regras que hoje estou nomeando de “Teoria Geral do Menor Esforço”.

O objetivo das regras que vou apresentar é facilitar o processo de decisão e minimizar o esforço em determinadas ações. Estas “dicas” servem para a vida pessoal e profissional, mas aconselho que sejam alterados de acordo com o gosto do digníssimo leitor.

Lei da Terceira Chance

Um problema para pessoas persistentes ou perfeccionistas é que, tentam demais. A cada tentativa elas se desgastam e nem sempre conseguem o resultado esperado, fazendo-as ir até “as últimas conseqüências”.

Esta regra visa limitar as tentativas, dando direito até a bônus caso haja uma reação positiva do interlocutor. O limite são 2 chances.

Por que duas chances? Acertar na primeira é sorte de principiante, por isso a primeira tentativa pode não dar muito certo ou não ser *perfeito*, por isso a segunda chance. Na segunda chance deve-se botar mais emoção, acreditar realmente no que está fazendo e não medir esforços para alcançar o objetivo, até porque esta será a “última chance”. Saber que não haverão mais oportunidades depois dessa fazem com que ela seja melhor pensada e aplicada.

Por que o bônus? A última chance sempre acabará antes da esperança, porque a esperança é a última que morre (sem piadas de sogra aqui). O bônus é creditado somente quando há uma reação do interlocutor, chamo aqui de “interlocutor” a pessoa ou coisa que está interagindo e será o objetivo da jornada.

Exemplos de aplicação:

* Você visualiza uma garota na balada, junta toda sua coragem e vai até ela para ganhar um belo “desculpe, estou com uma amiga”. Claramente ela não se interessou por você. Não perdendo a esperança você dará um tempo e tentará novamente com uma nova abordagem, que se não der certo ela responderá rispidamente “Já falei que estou com uma amiga, você é surdo?!”. Claramente a “Lei da Terceira Chance” lhe salvou, isso porque se você tentasse novamente levaria um tapa na cara e ela chamaria os seguranças.
Bônus: Após ver sua cara de cachorro-sem-dono depois da segunda tentativa ou ao perceber que realmente não era a última bolachinha do pacote, ela tentaria mostrar que olhou para você ou começaria a se insinuar tentando chamar sua atenção. Claro, esta é a hora de dar o benefício da dúvida, ou melhor, dar o bônus. A questão é: Dar o bônus para ela, chegando novamente ou dar o bônus para você, ficando com a amiga dela.
* Você entrega um projeto ao seu chefe, explica detalhadamente o que o projeto se propõe a fazer, ele se mostra interessado e diz que fará o possível para colocar em prática. Algumas semanas depois você percebe que talvez ele tenha engavetado o projeto. Ao invés de aborda-lo simplesmente perguntando “o senhor já levou o projeto para diretoria?”, você prepara um material complementar ainda mais interessante e apresenta novamente a ele mostrando o quão importante é o projeto. Caso ele diga a mesma coisa e nada aconteça, a “Lei da Terceira Chance” lhe ajudou novamente, do contrário você seria o pé-no-saco que seria demitido por insolência ou puxa-saco do escritório que em último caso seria promovido a ASPONE.
Bônus: Por acaso seu projeto chegou a mesa de um diretor, este viu o quão interessante era o projeto e lhe chamou para discutir sobre ele. Agora é a chance de mostrar quanto você está empenhado pela empresa e o quanto seu chefe é um zero-a-esquerda que não teve capacidade nem de levar isso a frente.

Lei do Menor Esforço

Esta regra da “Teoria Geral do Menor Esforço” visa pular algumas etapas do processo de decisão, indo direto ao fim do processo tendo maior chances de concluí-lo com êxito e sem delongas. Funciona também como um complemento da Lei da Terceira Chance.

Exemplos de aplicação:

* A baladinha começa às 22 horas, o pessoal começa a chegar às 23:30, você levaria o fora da menina do exemplo anterior por volta das 0:25 e o segundo talvez lá pelas 2:15. Em desespero ela viria a dar bola para você exatamente às 3:30, pois seria o momento em que ela já teria olhado para todos no ambiente e percebido que eles não estão correspondendo ou você é realmente a melhor das opções.
A Lei do Menor Esforço ensina que você deve chegar na balada às 2:55, sem esforço algum você chegará nela para a primeira cantada às 3:40 e sairá da balada a tempo de um cafezinho na padaria ou onde a imaginação deixar.
* No exemplo profissional da Lei da Terceira Chance, não seria muito ético pular todas as etapas de aprovação do projeto enviando-o direto a diretoria. Mas nada impedira você de “apressar” o processo fazendo um comentário oportuno na frente do seu chefe e do diretor do tipo “como comentei no meu projeto, blábláblá…”.
A Lei do Menor Esforço dita que todo momento oportuno pode ser usado para pular etapas de um processo chegando diretamente ao objetivo final.

A Teoria Geral do Menor Esforço é um conhecimento que está sendo elaborado aos poucos e quem estiver interessado pode contribuir com sugestão e críticas nos comentários deste post. O intuito em dividir estes pensamentos é ter algo que possa contribuir com o avanço da humanidade, asssim como por exemplo o programa espacial, que nos proporcionou avanços tecnológicos como o Wii e o Tang.

PS: O post acima é algo sério que aplico frequentemente em diversar coisas que faço. Obviamente não em tudo. Ou pelo menos não em quase tudo.

Anúncios

Ter um blog é fácil, difícil é manter

10 fev

Quem leu o primeiro post sabe que criei meu blog porque “um dia acordei com vontade de blogar”, naquele dia não sabia realmente se queria ter um blog até clicar no botão “Publicar”, desde então as pessoas me param na rua e perguntam “Christoffer, sobre o que é o seu blog?”, e um silêncio absoluto invade a minha mente me deixando sem respostas.

Meu blog é sobre qualquer coisa. Não preciso de um tema para ele, sei que a maioria dos visitantes cairão de para-quedas vindos de algum mecanismo de busca qualquer. Também sei que escrever estes dois parágrafos não irá justificar ter ficado quase dois meses sem postar nada, o que me remete ao título deste texto: Ter um blog é fácil, difícil é manter.

No final de 2007 criei um blog para Fábrica Di Chocolate, a idéia era um criar um meio de atrair visitantes através de assuntos aleatórios envolvendo o produto e a idéia de negócio. O objetivo era “ser informal” e por isso mantive notícias gerais, indo desde informativos sobre investimento até alfinetadas no concorrente principal. Depois da minha saída da empresa, o blog não teve muito movimento e frequentemente tento lembra-los que ele ainda existe.

Ter um blog é diferente de manter um blog, escolher assuntos fresquinhos e elaborar um textos pomposos pode levar horas. Este post por exemplo, já estou a quase uma hora nele e ainda está na metade.

Manter um blog pessoal pode ser uma tarefa mais simples, você pode falar sobre seu dia-a-dia e coisas que gosta de fazer. Manter um blog corporativo é algo mais complicado, você precisa realmente ter atualizações frequentes, pelo menos duas por semana. Manter um blog com assunto específico é mais doloroso, você precisa dar uma dose de feed constante aos usuários senão eles procuram outra fonte. Manter meu blog é uma experiência espiritual, só preciso escrever grandes textos de tempos-em-tempos e ficar me martirizando por não conseguir ser mais frequente.

A primeira vez que ouvi a palavra “weblog” saindo da boca de uma pessoa séria, foi quando minha professora de sociologia do terceiro ano fez em particular um comentário sobre “um novo tipo de mídia” que ela havia lido a respeito, provavelmente não levei nenhum pouco em consideração, afinal ela tinha quase 60 anos e para mim blogs eram só “diários virtuais”.

Hoje acho que deveria ter levado a senhora Monita Reimer-Ridgway mais a sério, mas não posso me culpar, eu era o único da escola inteira que dava algum crédito a ela. Apesar de um pouco excêntrica, percebi mais tarde que ela realmente sabia o que estava dizendo, infelizmente eu não era maduro suficiente para entender que aquela mulher poderia me ensinar muito sobre design, internet e tendências.

Além de blogs, foi dela que levei o primeiro puxão de orelha por não dar “ar para o texto respirar” e não calcular o espaço disponível do papel antes de escrever. Ela também falava de coisas como spam e sobre visitantes que não ficariam a vontade se o site tivesse um menu vertical com o texto na vertical. Monita era realmente uma pessoa fascinante e com uma impressionante história de vida, se você encontrá-la na rua ou promovendo um evento de moda na sua região, fica como sugestão puxar conversa com ela.

Enquanto não encontro uma nova especialista em moda/professora de sociologia para conversar, continuo escrevendo textos inconstantes para meu blog e deixo o desafio: Crie um blog, Tenha um blog, Mantenha um blog.

PS: Tenho que admitir que nunca me pararam na rua, mas gosto de pensar que a causa são os fones de ouvido.

Nome do blog…

13 abr

Poisé.. pensei, pensei e não pensei em nada melhor.. Então está decidido que momentaneamente o nome será “My Name Is Kraus”, qualquer semelhança entre o nome e um famoso seriado americano não é mera coincidência :P

Alô Mundo :)

13 abr

Acordei hoje com vontade de bloggar, sei que é estranho e soa um tanto nerd, mas esta não é a primeira vez. Outra vez quando acordei com essa vontade montei o blog da Fábrica Di Chocolate, lá postei algumas vezes e saciou minha vontade durante um tempo.

Normalmente quando acordo com essa vontade vou até o notepad e descarrego tudo ali e depois não salvo. Hoje foi diferente, criei o domínio no wordpress e estou aqui escrevendo no bloco de notas. Na verdade só saberei se foi realmente diferente quando terminar.

Como este é o primeiro post, vai ter o blablabla inicial.. até porque não sei sobre o que vou escrever aqui e não tenho um nome para ele ainda, mas já faço duas observações: não vou fazer um layout e não vou comprar um domínio.. não pelo menos até alcançar um número suficiente de visitantes que caem do google de paraquedas e clicam em todos links que vêem :)

Alguns assuntos que planejo abordar neste blog:

“Chuchu Conspiracy Theory”
Teoria de Dr. Mousse sobre como o Chuchu dominará o mundo
“Foca, foca, foca, leão marinho”
Metodologia de Zark sobre como pegar garotas em baladas
“Le mystère de Le Mijon”
História de Dr. Mousse sobre a submissão masculina
“Falência da Google”
Minhas previsões sobre a virada da Microsoft sobre a Google

Além destes assuntos importantíssimos para existência humana teremos neste blog a área narcisista onde falarei de mim, sobre meu trabalho e sobre meus interesses. Também teremos aqui minhas comparações tribalistas de Joinville com Floripa, notícias gerais sobre negócios, tecnologia e de tudo um pouco.

Taí, acabei, agora é só definir um zilhão de palavras chaves e ser indexado pelo google para ficar famoso?

%d blogueiros gostam disto: