Tag Archives: yahoo!

The “dot” and the word that follows it

20 maio

No more hesitation, the moment of truth has come and now it’s all about your imagination and GoDaddy’s domain search saying the magical words: Good news, this domain is available. If you already did this, you will understand what I mean, or if not, maybe you will never have this misfortune of searching through dozen of names till you find an available one.

I'm feeling lucky about taking over the internet

The perfect-good-name.com represents a great opportunity for brands, recently Facebook bought fb.com for $ 8.5 million. Hotels.com domain, today the most popular hotel booking website, was bought for $ 11 million in 2001, two years later the company was acquired in a $ 1.1 billion deal. Evidently, the numbers are really impressive but the domains are losing relevance in a new internet.

In the next years, the Internet will be invaded by new generic domain extensions like .shop, .technology, .microsoft, .london and .guru, these domains will be on the same level as others Top Level Domains such .com and .org and they are already available for purchase. Will this change the relevance of the domains? I say that in no more than 5 years and these domains will not even exists.

Search engines will contribute first to this near future. While hundreds of new domain extensions will be great for new brands, they will be perfect for fraud too. All sizes of brands will loose some important domain names due to fraudulent activities. Like a super hero saving the brands, the search engines will intervene in search results ignoring the keywords that appear in domain name. Without relevance, why does the domain name needs to be so perfect?

Today, new users don’t care about domain name. Yes, observe a child or any new internet user and you will see that they don’t actually use the address bar to type the complete domain name, they know Google and Google says what is good for them. They might write the complete domain name in the search box but not in the address bar, but if they do it right it’s not a problem because the DNS can do it work. So, if the user just searches, why do the companies need a domain name?

Feeling lucky, take over the world. Come on, if you own the biggest search engine in the world and you make the most used internet browser, and this browser is silently updating itself every week, why do your users really need memorize a domain name? That’s easy. No search results, no money. But if you were the faraway second biggest search engine of the world and you make the second most used internet browser, why does your user really need to see the search results? Think about it. This is all still in its early stages.

Anúncios

Um ótimo hiybbprqag day pra você

2 fev

A muitos anos atrás, antes do Google nos libertar, o mercado de  buscas na internet era dominado pelos buscadores de diretórios e metas, que possuiam um enorme banco de dados com websites indicados pelos próprios usuários e, até então, supriam as necessidades dos usuários de internet.

Com o passar do tempo, e o número de sites na internet crescendo exponencialmente, esta realidade foi alterada pelos famintos robozinhos do Google, que entram em um site e começam a vasculhar links para descobrir todos os dias milhões de novas páginas. Mas, desde o início e até hoje, um dos pratos favoritos destes robozinhos é o “buscador secundário”, que naquela época era representado principalmente pelo Yahoo! no mundo, e o Cadê? no Brasil.

Resumindo: Buscador buscando em buscadores por buscas mais buscáveis. Não deu pra enrolar a língua né? Poisé, mas quem se enrolou ontem foi um engenheiro da Google quando afirmou que “resultados de busca do Bing são uma imitação barata”. Segundo uma experiência realizada pela equipe do buscador, a concorrente estaria usando o Bing Toolbar e o Microsoft Internet Explorer 8 para copiar os resultados de buscas do Google.

Para comprovar a suposta “fraude”, a gigante das buscas criou cerca de 100 palavras inexistentes (como  “hiybbprqag”, essa sim enrola a língua!) e vinculou a sites que não tinham qualquer relação com estas palavras, depois disso, juntou uma equipe de 20 engenheiros em computadores com Windows recém instalado e Internet Explorer 8 com Bing Toolbar, todos com as opções de “sugestão de sites” e “colaboração para melhoria de serviços” ativados, e solicitou que estes engenheiros digitassem as palavras. Como que por mágica, cerca de duas semanas depois os resultados começaram a aparecer no Bing.

Tudo isso é muito lindo e conspirador, mas o que a Microsoft está fazendo é o mesmo que o Google fez desde o início, principalmente com o Yahoo!, buscando em concorrentes para ter melhores resultados. A diferença é que eles estão fazendo isso com o auxílio e autorização dos próprios clientes.

Como acontece

Se você optou por compartilhar informações anônimas para auxiliar na melhoria dos serviços Microsoft, ao fazer uma busca no Google, Yahoo!, Ask, Altavista ou outro buscador, a palavra que você utilizou são enviadas para Microsoft e esta envia para o Bing (muito inteligente, diga-se de passagem), uma vez que o mesmo não tem resultados para sua palavra, ele vai procurar nos concorrentes e, uma vez encontrada, sua palavra é vinculada ao site que está sendo listado no concorrente (muito perigoso, diga-se de passagem).

Em outras palavras, é como se você fosse dono do Walmart e o caixa do Carrefour te passasse todos os dias uma lista com os produtos que eles tem e você não tem. Concorrência desleal, mas a Google também não é puritana.

 

Se não pode com ele…

15 fev

…junte-se a ele.

Ontem comprei um domínio para hospedar um novo sistema que criei para um antigo cliente. Aproveitando os gráficos do novo sistema e uns testes que estou fazendo para um novo projeto, criei um mecanismo com uma interface bem interessante.

O mecanismo usa as APIs do Google para fazer uma pesquisa dos 3 primeiros resultados do que estiver sendo escrito na caixa de pesquisa. Acho que já vi algo parecido no Yahoo! a alguns anos atrás, mas mesmo assim é legal.

Dando “enter” também é possível ver os resultados para a palavra com caixas separadas para vídeos, imagens e maps.

www.golist.com.br

SEO – Search Engine Obfuscation

25 nov

No início eram trevas.. hospedava-se uma página e o primeiro passo era sair garimpando entre os sites de busca para cadastrar o dito cujo no maior número de catálogos possível. Lembro do meu primeiro site recusado e depois publicado no Yahoo!, eu fazia diversas buscas com palavras diferentes para ter certeza que ele estava lá. 

Não lembro bem qual foi o motivo pelo qual fui recusado da primeira vez, mas provavelmente por ter usado alguma palavra que não condizia com meu site — talvez a palavra sexo oral. Acontece que para cadastrar um site era necessário escrever uma descrição e configurar uma série de palavras-chave, a partir disso, a pessoa — física real de carne e osso — que fosse moderar, decidia se aceitaria ou não.

Os tempos mudam, hoje ao invés de ir atrás de sites de busca, são eles que vem atrás de nós. Para ter seu site fotografado pelo Google, basta basicamente que ele exista e para aparecer na página de resultados, basta ter as palavras certas no lugar certo. 

Qualquer menino ou menina pode otimizar um site para que ele tenha uma boa posição no Google, essa frase por exemplo, em conjunto com as demais palavras em itálico pode atrair uma dezena de pedófilos amanhã para esse blog. Teoricamente isso funcionaria, porém existe o “Search Engine Optimization”.

Para oferecer os melhores resultados para a palavra que você pesquisou, o Google definiu uma série de “regras”. Seguir essas regras para obter a melhor posição no buscador, é o que os profissionais em otimização para buscadores fazem, as vezes responsavelmente e as vezes não muito.

Olhe para este blog….. No topo tem o título em um tamanho avantajado, quase tão avantajado quanto o título deste post. Isso porque eles estão em tags do tipo “cabeçalho” que são tags para títulos, eles são títulos então estão no lugar certo, isso é semântica.

Clique no título deste post….. vamos lá clique!, negritei o início dessa linha para que seja mais fácil encontra-la. Se você está dentro do post, verá que o link desta página tem as mesmas palavras do título do post. Olhe para o título da janela, não é interessante que seja o mesmo também?

Se você rolar um pouco a página para o fim do post também verá as tags que escolhi para este texto, as tags facilitam a associação com o conteúdo além de levar o visitante para mais conteúdos referentes a ela. Ao lado também é mostrada uma nuvem de tags.  

Olhando pela perspectiva de um designer, está tudo muito usual, olhando pela do Google, está tudo muito delicioso… nham nham… título e url da página, cabeçalhos e textos com ênfase são alguns dos atributos que o algoritmo do Google usa para classificar a relevância do site para a palavra que você buscou. 

Se existem estas “regras”, porque não tornar todo site um apetitoso bolo de chocolate? É isso que alguns profissionais de SEO fazem, gerando resultados ruins para suas buscas.

O objetivo real deste texto nem eu sei, mas ficarei feliz se eu receber visitas de pedófilos, doceiros e profissionais de web…

Fica o aviso: Graças as técnicas de SEO, *bem ou mal usadas*, podemos estar limitando nossa experiência na web ficando na primeira página de resultado.

No início, eram trevas e fez-se o Google.. argh.. bullshit, é só mais um buscadorzinho!

Repita comigo: “don’t be eeeevill”

23 nov

“Não seja mau” é como um código de conduta na Google, a bandeira que a empresa resolveu carregar para mostrar que pode ser grande sem prejudicar os outros. Bem, funcionou durante um tempo, mas as crianças crescem…

No início de fevereiro acompanhei entusiasmado a tentativa de compra da Yahoo! pela Microsoft, isso seria um grande salto para Microsoft na web e a salvação para a Yahoo!, mas a Google conseguiu jogar um balde de água fria na relação com seu acordo de publicidade milhonário. Naquele momento pensei jogada esperta, digna de Microsoft.. mas, repita comigo don’t be evil..

Em setembro vi a notícia “Mozilla renova acordo com a Google por mais 3 anos”, nem perdi tempo lendo, era de se esperar já que o Firefox deve sua sobrevivência a Google. O que me surpreendeu foi a notícia do dia seguinte “Google lança navegador para concorrer com Explorer”, me lembrei da notícia anterir e esbocei um imediato son of a bitch!… golpe baixo, mas respirei fundo e repeti don’t be evil..

A semanas atrás abri minha página de notícias e lá estava “Google encerra acordo de publicidade com o Yahoo!”, me lembrei de toda novela que foi entre a Microsoft e a Yahoo! e esbocei um imediato son of a bitch, don’t be evil???..

%d blogueiros gostam disto: